Scroll Top

HOME

Última parcela de reajuste é paga em janeiro e categoria prevê luta para assegurar direito
08/01/2019

 

Com a chegada do final do parcelamento do reajuste neste mês obtido através da Lei 13.317/2016, sinônimo de resultado de umas das mais extensas histórias de luta e greve da categoria, uma nova mobilização é necessária para conquista do reajuste salarial. A importância de um novo fôlego e impulsionamento para extrair do Judiciário, em tempos de Emenda Constitucional 95, qualquer política salarial no próximo período é de extrema urgência e indispensável.

Perante ameaças de infração até mesmo de leis aprovadas para carreiras do Executivo há mais de três anos e da política de congelamento salarial contra o funcionalismo, lembrar o papel executado pelos servidores que tiveram participação na greve também pode avivar, elucidar e incentivar a geração pós-greve, mesmo num período adverso a ir às ruas para fazer valer seus direitos.

A última parcela do reajuste de 12% prevista para este mês de janeiro fecha um ciclo do processo de luta que se arrastou por anos com o objetivo de tentar recuperar em média 40% de perdas acumuladas diante da falta de uma politica salarial, apesar da previsão constitucional da revisão geral anual.

 

Mesa de Negociação Permanente

Mesmo diante das péssimas perspectivas, a importância da mobilização e de se levantar para assegurar os direitos da categoria, em qualquer governo é fundamental. Há quase dois anos a Fenajufe e os sindicatos filiados buscam retomar no Supremo Tribunal Federal a Comissão Interdisciplinar para discutir carreira e salários e estabelecer um diálogo com os trabalhadores. Até o momento, nenhuma demanda apresentada a ministra Carmen Lúcia obteve retorno.

Diante disso, tem muita luta prevista para este ano e o SINDJUFE-BA reafirma o seu compromisso em defender os direitos destes trabalhadores e chama a categoria para participar dela.

 

Caroline Vilas Boas

Imprensa SINDJUFE-BA



 
>>>>>