Scroll Top

HOME

ARTIGO: É preciso fazer uma reflexão de como as eleições afetarão os servidores do PJU
03/10/2018

 

Temos duas listas a serem divulgadas: a dos parlamentares que votaram pela derrubada do veto ao nosso reajuste e a dos parlamentares que votaram contra nossos interesses votando à favor da PEC dos gastos, à favor da reforma trabalhista e da terceirização e que apoiam a reforma da Previdência. Sabemos que os parlamentares que votaram pela derrubada do veto votaram contra nós nos outros pontos acima elencados. E por que assim o fizeram? Eis o que cabe a nós analisar.


Os que votaram pela derrubada do veto o fizeram com a intenção de enfraquecer o governo e dar o golpe que levou o governo Temer a aprovar os demais projetos contra nossos interesses. Eles não foram ao nosso favor na época da derrubada do veto porque são parlamentares que defendem as pautas  do PJU. Esses parlamentares estão dispostos a aprovar a reforma da previdência que nos afetará profundamente.

Boulos seria o único Presidente que não faria a reforma da previdência. Todos os outros a farão. Mas sabemos que sua eleição é improvável embora eu ache que devemos votar por convicção e em um programa de governo que atenda aos nossos interesses. 
A reforma da previdência do Bolsonaro será a mesma do Temer, conforme declarações do seu ministro da economia, Paulo Guedes. A do PT e a do Ciro Gomes, caso sejam eleitos , *se for feita*, será uma reforma mais branda. 

Com Bolsonaro , teremos com certeza absoluta a perda da estabilidade , a implementação terceirização irrestrita no serviço público que já foi aprovada e , assim, teremos todo o serviço público terceirizado. O governo Temer já fez decreto proibindo concursos públicos, afrontando a CF. O próximo passo será PDV (planos de demissão voluntária) e depois demissão de funcionários concursados.  A demonização dos servidores será o tom na mídia. Teremos uma precarização geral no serviço público. Com o Bolsonaro teremos a extinção do SUS. E pense que nós que temos planos de saúde usamos o SUS de diversas formas.

A campanha do Bolsonaro é financiada por mineradoras interessadas em se apropriar de terras indígenas para destruir a natureza com a exploração predatória e indiscriminada. Não é à toa que ele comparou índios com animais. Além das mineradoras, apoiam o Bolsonaro: a bancada da bala de olho no mercado de armas, a bancada ruralista que não quer empecilhos para o desmatamento indiscriminado e o uso dos venenos de forma livre conforme já aprovado agora no governo Temer. Não foi à toa o ataque dele às comunidades quilombolas que incomodam aos grileiros do agronegócio e sua manifestação racista contra os negros . E , para completar , o financiamento do candidato com agenda nazista, tem a bancada evangélica que enriquece com o mercado da fé e lava dinheiro do tráfico.

Não pensem que não existe uma razão econômica nefasta por trás de cada declaração. A ameaça de extermínio de quem não se adaptar ao que eles querem poderá se concretizar. Ninguém levou em conta as declarações de Hitler antes da guerra. A elite alemã achou que poderia controlá-lo. Deu no que deu. Não é à toa que ele apoia tortura, extermínio e esterilização da população pobre. Tem vídeos dele dizendo que pobre tem mania de querer fazer faculdade e pregando que pobre deve fazer apenas cursos técnicos para consertar geladeiras.

Essa história de que vai fazer uma limpeza, significa o que? Que bandido bom é bandido morto. Isso significa invadir favelas e sair matando pessoas negras e pobres por achar ou ouvir dizer que é bandido, sem julgamento. Para nós, que somos da área do direito, sabemos o que isso significa.  
Lembremos que estaremos escolhendo ou uma ditadura ou um governo democrático. Nas ditaduras não se permitem manifestações e nem greves por reajustes salariais.
Por isso tudo: #ele não!

Por Heve Estrela, servidora do TRT.

 

Nota do SINDJUFE-BA

Artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da Diretoria da Entidade.



 
>>>>>