Scroll Top

HOME

ARTIGO: Tolerância ZERO para a INTOLERÂNCIA de qualquer tipo!
24/09/2018

 

Em nome da tolerância, alguns eleitores do candidato, maior exemplo de intolerância atualmente, pedem tolerância. Tolerância para disseminar ódio. Tolerância para ser intolerante com o diferente. Tolerância para fazer piadas machistas, racistas e homofóbicas. Tolerância para fazer apologia à tortura. Tolerância à sua falta de tolerância com praticantes de outras religiões. Tolerância para colocar o seu direito acima do direito do outro. A lista é imensa.

O “coiso” é exemplo vivo do mito “caixa de pandora”, de onde brotam todos os males, inclusive os latentes no ser humano, que a evolução nos obriga a esconder, sublimar, esquecer.

Essa néscia e caricata figura construiu sua escada com falsos degraus num desenho lógico. Juntou a raiva de alguns ao “politicamente correto” e ao cerceamento à liberdade de expressar seu preconceito. Juntou o ódio de muitos à chamada “era PT” — que erroneamente foi tachada de “esquerda”. Juntou a revolta pela crise política e econômica. Juntou a desesperança dos que correram ao berço quente da religião. Juntou o medo, a vulnerabilidade do cidadão com o recrudescimento da violência, e lhes prometeu “mão firme” e violência para acabar com a violência. Juntou tudo e fez sua escada. E se trasvestiu de panaceia!...

Esse tipo de caricatura já foi experimentado em outros lugares, conquistou grande apoio popular e logo em seguida veio o arrependimento dos que o apoiaram. Beber da fonte da História pode ser um antídoto a esse tipo de veneno.

Trazendo para mais perto de nós, dialogando com quem fez greve por melhores salários e sofre na pele o fogo lhe corroendo o poder aquisitivo, direitos e respeito, digo: abram os olhos enquanto podem!

A PEC do congelamento salarial contou com o apoio do coiso, e ele não permitirá novas greves. A Reforma Trabalhista, que vai fechar o TRT, teve o aval do coiso: ele já disse que “o trabalhador terá que escolher entre ter emprego ou ter direito”. Para maiores informações sobre a relação desse governo com o serviço público, pesquisem quem é Paulo Guedes, o mentor da sua política econômica. Ele é sócio do BTG Pactual S/A, denunciado pelo Núcleo Mineiro Pela Auditoria Cidadã da Dívida no esquema fraudulento da securitização de crédito em Minas Gerais. Securitização que pode usar salários dos servidores e aposentados para “garantir” o lucro dos banqueiros.
 
Assim, um aviso aos que estão no mesmo balão que infla a candidatura CARICATA do coiso: esse saco onde vocês estão não é de gatos: é de insetos carnívoros. Saiam enquanto é tempo!

 

Por Denise Carneiro

 

Nota do SINDJUFE-BA

Os artigos assinados não correspondem, necessariamente, à posição da Entidade.